sábado, 13 de setembro de 2014

Esopo: O Cão e a Máscara

3 fábulas de Esopo. 3 reflexões para o antes, o durante e o após eleições. 3 fábulas que se encontram no livro Fábulas de Esopo Ilustradas, tradução e adaptação de Carlos Pinheiro - Licença Creative Commons, 2012. O antes: A Pulga e o Camelo. O durante: O Rei dos Macacos e Dois Homens. O após: O Cão e a Máscara.



O Cão e a Máscara
Esopo

Procurando comida, um Cão encontrou a máscara de um homem muito bem-feita de papelão com cores vivas. Chegou-se então a ela e começou a cheirá-la para ver se era um homem que dormia. Depois empurrou-a com o focinho e viu que rebolava, e como não quisesse ficar quieta nem tomar assento, disse o Cão:
— Decerto que a cabeça é linda, mas não tem miolo.


Moral da História: A máscara representa o homem ou mulher que só se preocupa com o aspeto exterior e não procura cultivar a alma, que é muito mais preciosa. Notam-se nesta Fábula as pessoas que têm todo o cuidado com enfeites e cores supérfluas, formosas por fora, mas a cuja cabeça falta miolo.

*
Ilustração: Richard Heighway - 1894


Esopo, o grande fabulista grego, ainda hoje é uma grande incógnita. Não se sabe quando e onde (Samos? Sardes? Atenas?) nasceu, mas acredita-se que teria sido morto em Delfos em 620 a.C. Pelo que se conta, o mestre não teria palpos na língua e ancorado pelas suas fábulas atingia os grandes e os pequenos com seus julgamentos. Escravo, teria sido liberto por Jadmo de Samos e saiu pelo mundo: Egito, Babilônia, Ásia Menor. Apesar de deixar nada escrito, Esopo seria autor de, no mínimo, umas 400 fábulas, recontadas até hoje. Dos muitos autores que as recolheram o mais popular é o francês Jean de La Fontaine (1621-1695).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...