quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Carlos Dala Stella: Poemas III

Conheci o Carlos Dala Stella, na década de 1990, na sede do Jornal Nicolau, aqui em Curitiba. Eu fazia a edição gráfica e ele matérias e também algumas ilustrações. Dala Stella realiza um precioso trabalho plástico. Entre os seus livros está O gato sem nome, de 2007, com apenas 300 exemplares impressos em serigrafia. O volume traz além de reproduções de algumas pinturas e desenhos, duas fantásticas (e trabalhosas!) obras em recortes. Confira, em cinco postagens, alguns dos seus poemas presentes nesta rara edição.



III

toda vez que uma cigarra
canta, morro de inveja

de seu serrilhado seco
escandindo em lâminas o tempo

do sol agudo de seus dentes
iluminando o cérebro

do diamante em linha reta
perfurando os tímpanos

toda vez que canta uma cigarra
levo um susto de aço

e custo a recuperar o coração
no miolo da matéria

*
Ilustração de Joba Tridente - 2014


Carlos Dala Stella é conciso: poeta-pintor nascido em 1961 em Santa Felicidade, Curitiba-PR. Autor, entre outros, de O gato sem nome. Quem quiser ir além da concisão é só visitar os seus sites: http://www.dalastella.blogspot.com/ e http://www.geocities.ws/cdalastella/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...