segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Celso Araujo: desolamento

Celso Araujo é jornalista, escritor, dramaturgo, ator, compositor, cantor, performer. O conheci na redação do jornal Correio Braziliense, em Brasília, onde também trabalhava, em meados dos anos 1970. Saí definitivamente da Capital Federal em 1990. A maioria dos meus amigos..., gente da imprensa, artistas de teatro, cinema, literatura, música, artes gráficas e plásticas..., responsável pela base cultural da capital e suas satélites, continuou firme ali, defendendo seus caros alicerces no DF. Alguns já se foram do planeta, mas outros, feito ele, que reencontrei na rede FB, seguem por lá, alertas e fortes, em defesa da cultura brasiliense, com suas cores candangas e vivacidade brasileira!

Desde novembro de 2013, Celso Araujo mantém o interessante blog literário poesia-parque, onde publica seus catárticos poemas, crônicas e críticas teatrais. É deste blog, geralmente ilustrados por suas próprias fotos, que pincei os sete poemas que você acompanha, um ao dia, aqui no Falas ao Acaso. Você que já conheceu o pai gigante e finalizando agosto, hoje vai saber o que ele tem a dizer sobre o desolamento, publicado na quinta-feira, 15 de setembro de 2016.


                 
desolamento
celso araujo

a desolação
de um sujeito
derramado debaixo da árvore
de jamelão
nunca saberei a locução certa dessa árvore
pra mim erariam azeitonas
os pássaros bicando os pés do senhor
carros de som panelas lençóis motores
e assim transita a manhã de sombras
isto é a manhã atemporal de cerrados queimando
é minha a desolação e um humano está ali por si
mesmo imaginado e com trilha
sonora do pássaro que canta
em escrita musical que não tem igual
nesse mundo e nunca decifrarei
mas ele canta o pássaro pequeno
a ave mais oculta entre os galhos
a angústia mais desgastada nas
folhas que cobrem minha pele
e a do sujeito que dorme debaixo
da sombra da vegetação do existir
ele existe eu não existo o dito está
desfeito e o que parecia tão direito
tudo mentira da minha mente fora
dessintonia e dentro da agonia nós

*
foto de celso araujo


Celso Araujo nasceu no Maranhão em 1954. Chegou a Brasília em 68. Estudou Psicologia, sem terminar, e também Comunicação. Trabalhou nos jornais Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Rádio Nacional e, atualmente na Rádio Cultura. Foto de Tayla Lorrana.

2 comentários:

  1. Un gusto visitar su espacio,gracias por compartirnos algo de usted y su largo trayecto literario.Mis felicitaciones, que sigan los éxitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ..., Gracias, Ma Gloria, es siempre bienvenida!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...